....................................................................................................................................................................................................

O Mundo se Tornou um Lugar Mais Perigoso!?

In Internacional, Política on 29 de maio de 2010 at 21:46

PERIGO #1

O lobby de Israel deve estar apertando os políticos norte-americanos cada vez mais a respeito dos assuntos relacionados ao Irã. Os fatos novos que têm surgido, especialmente após a chegada atabalhoada do Brasil na questão, tem feito o suor brotar na testa dos Israelenses. Afinal de contas, os 10-20 minutos necessários para se tentar interceptar um míssil nuclear e lançar outro em represália, não existem entre Irã e Israel. Porém, enquanto no final da década de 70 Saddam Hussein bradava aos quatro ventos que o programa nuclear Iraquiano era voltado para a produção de uma bomba com alvo certo em Tel-Aviv ou Jerusalém, e imediações, Ahmadinejad mantém as firmes afirmações da pacifidade do programa de seu país. Nesse meio tempo, o Brasil resolve meter o bedelho com esse estranho acordo com fez em conjunto com a Turquia. Na, talvez, melhor das hipóteses, o resultado foi entregar ao Irã em uma bandeja de prata, uma boa moeda de barganha contra os países partidários das sanções. “Se as sanções vierem, descupriremos o acordo”, já disse Ahmadinejad, e Hilary Clinton quer convencer a todos que o mundo se tornou um lugar mais perigoso.

É importante deixar claro que, quando se estuda com mais calma (e descobre coisas que a população em geral não sabe tão bem) o enriquecimento de Urânio é uma tarefa cara, dispensiosa e difícil dos 1% aos 60%. A partir daí, isto é, dos 60% aos 90% (necessário para aí sim produzir uma bomba) é um pulo. O material sobre o qual o acordo versa é conhecido como “Caramel Fuel”, Urânio enriquecido a cerca de 20%. Apenas aqui, falta um tanto para uma bomba. Mas material hospitalar ruquer enriquecimento de 60%, é aqui que o “buraco mais embaixo” fica. Além disso, o que embola o esquema é o fato de ‘material hospitalar’ também se encaixar em ‘fins pacíficos’. Há pouca – se não nenhuma – certeza sobre as capacidades do Irã em enriquecer urânio dessa maneira. Não é nem um pouco surpreendende imaginar ou até afirmar que os Estados Unidos já devem ter estudado a idéia de efetuar um ataque preventivo, bombardeando uma usina iraniana, por exemplo. O que complica foram as dificuldades estabelecidadas pelo precedente Israel-Iraque em Osiraq-1981 e o contexto complexo do sistema internacional comtemporãneo, onde atos militares unilaterais  são muito mal-vistos. (Vide Iraque 2002 e Afeganistão 2001). O assunto é muito complicado, vai desde a possibilidade de haver instalações clandestinas, quanto a impossibilidade dos inspetores da AIEA conseguirem acesso a toda a informação existente sobre o programa. Há dois anos ouvi dizer que os EUA já teriam uma operação militar pronta para o Irã, hoje já não acredito mais nisso. Não há fórmula secreta, a não ser quase impossível fórmula pós-moderna de tratamento horizontal, onde todo mundo é constrangido por um forte regime anti-proliferação nuclear de forma igual. Mas como eu disse, é quase impossível pois quem já é forte não quer voltar ao nível dos fracos. Melhor mesmo é continuar o debate. Então, go Conselho de Segurança go!

PERIGO #2

Perigoso mesmo, nessa dança toda supracitada, é nosso futuro ex-presidente Lula dar essas tacadas em jogo de gente grande com a idéia fixa de caminhar rumo ao Secretariado Geral das Nações Unidas. Oh my…

PERIGO #3

A Coréia do Norte é um país de gente muito estranha. Basta ter assitido ao quadro do humorista Marcelo Madureira no Fantástico há dois domingos para ter uma noção disso. Muito apesar do professor Guilherme Casarões (que, aliás é grande amigo e deixo aqui um forte abraço para ele!) ter dito, em entrevista à Radio CBN nesta quinta-feira passada, que é difícil ocorrer uma escalada de conflito na região, eu penso que o que não é difícil mesmo é esse povo surpreender a todos nós nesse sentido. É fato que o passado recente de ‘provocações’ entre as duas Coréias, sem um efetivo arranca-rabo entre elas, permite pensar que dessa vez será igual. Acho que, depois da turma estranha do Norte ter dito que vai abandonar os acordos buffers com a moçada do Sul, uma escalada de conflito só não acontece se a turma do deixa disso aparecer forte. É bom deixar claro que essa turma é tem ficado boa de serviço ultimamente, então, go Conselho de Segurança go!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: